RSS

Arquivo diário: 14/07/2009

A Lealdade !

LealdadePor Carlos Bernardo González Pecotche (Raumsol)

Entre as múltiplas e variadas condições que configuram a psicologia humana, achamos a que se define pela palavra lealdade. Aprofundar esta palavra, buscando em seu conteúdo os elementos com que sua raiz se nutre, é penetrar no profundo sentido e alcance da lei que rege a vida e a força dela. As palavras são como as pedras preciosas: nas mãos das crianças, são simplesmente pedras vistosas, ou apenas pedras; nas mãos dos mais velhos, têm elas um valor, são apreciadas, e até se anela possuí-las pelo que brilham e pelo que valem; nas mãos dos especialistas, adquirem valor ainda maior: eles as examinam e sabem de imediato quantos quilates têm e seu grau de pureza. Como as pedras preciosas, as palavras possuem também seus quilates e seu grau de pureza. Na palavra lealdade, os quilates podem ser calculados proporcionalmente à confiança que consegue inspirar quando encarna no homem que faz dela um culto; sua pureza se mostra na bondade das intenções daquele em cuja vida ela se manifesta sem ser desvirtuada.

Ser leal aos próprios sentimentos é ser fiel à própria consciência

Tudo quanto se pode apreciar no homem em seu grau mais legítimo está encerrado nesta palavra. Pode-se dizer que ela é, em síntese, a expressão de todo o verdadeiro e sadio que existe na natureza moral e psicológica. Sem lealdade não é possível conceber a amizade entre as pessoas, nem tampouco tornar viável uma convivência de caráter permanente e sincero. Os sentimentos humanos existem como manifestação do sensível e puro que se aninha no íntimo de cada um. Ser leal aos próprios sentimentos é ser fiel à própria consciência. Quando se desvirtua o caráter daqueles, esta se desnaturaliza. Diríamos mais: se é certo que pode morrer algo daquilo que forma o conjunto das condições humanas, a lealdade deveria ser a última a desaparecer como qualidade que pertence ao ser. Pode-se afirmar, sem que seja por demais ousado, que uma das causas primordiais dos múltiplos infortúnios humanos foi sempre a falta de lealdade no trato mútuo. O engano e a falsidade são duas tendências destrutivas que, em todos os tempos, atentaram contra as boas disposições do ser. Naturalmente, para alcançar a posição de integridade que a lealdade exige, é necessário chegar a possuir uma grande confiança em si mesmo. Porém, enquanto isso não possa ser alcançado em toda a sua extensão, será de grande benefício recordar constantemente o grau de importância de que se reveste a lealdade no conceito geral, pois é o que mais se estima e o que pesa no juízo de todos. A lealdade se caracteriza pela consciência do dever. É profissão de fé consciente que o ser faz ao sentimento que, nascido de uma amizade ou de um afeto sincero e puro, converte-se em parte de si mesmo. E, sendo assim, não poderia esse sentimento ser menosprezado sem ferir profundamente a própria vida. As grandes almas sempre compreenderam isso; por tal motivo, foram leais a seus princípios, a suas convicções e a seus profundos afetos. Onde a lealdade existe, reina a harmonia, a união e a ordem; o contrário de tudo isso sucede ali onde ela deixa de se manifestar. Trechos extraídos de artigo da Coletânea da Revista Logosofia Tomo 2 p.189

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14/07/2009 em Logosofia

 

HORA DE RIR !!!

SóCabecinhaTrato é trato

O rapaz tinha um pinto muito pequeno, mas pequeno mesmo. Certa noite, ele foi até o baile e lá descolou um mulherão. Conversa daqui, conversa de lá, ele consegue arrastar a mulher até o seu apartamento. Chegando lá, começa a passar a mão na gostosa e diz: – Vamos dar uma transadinha. A mulher: “não”. O rapaz: “vamos vai, eu ponho só a cabecinha”. A mulher: “só a cabecinha. Então vamos!.O cara botou ela de quatro, e como o pinto dele era minúsculo, ele enfiou até as bolas. Então a gostosa gritou: – Põe tudo, meu gostoso! E o rapaz: – Não ponho, não! Trato é trato!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14/07/2009 em Hora de Rir !

 

É preciso se comunicar !

quem-nao-se-comunicaA comunicação é a chave que abre todas as portas, seja o sucesso, o trabalho, os relacionamentos enfim tudo depende de uma boa comunicação. Como dizia o ” Velho Guerreiro Chacrinha ”  : ‘quem não se comunica se trumbica’. E é a pura verdade. Veja só o que a falta de comunicação do pessoal de um hospital, com um paciente causou. Indignação e criatividade do paciente que por saber se comunicar corretamente conseguiu a informação que desejava. Parece até uma piada mas não é. É uma prova que saber se comunicar pode nos ajudar e muito. Leia o texto abaixo e depois me diga se não estou certo.

VERÍDICO E EXCELENTE!

– Bom dia, é da recepção? Eu gostaria de falar com alguém que me desse informações sobre um paciente. Queria saber se certa pessoa está melhor ou piorou… – Qual e o nome do paciente? – Chama-se Celso e está no quarto 302. – Um momentinho, vou transferir a ligação para o setor de enfermagem… – Bom dia, sou a enfermeira Lourdes. O que deseja? – Gostaria de saber as condições clínicas do paciente Celso do quarto 302, por favor! – Um minuto, vou localizar o médico de plantão. – Aqui é o Dr. Carlos plantonista. Em que posso ajudar? – Olá, doutor. Precisaria que alguém me informasse sobre a saúde do Celso que está internado há três semanas no quarto 302. – Ok, meu senhor, vou consultar o prontuário do paciente… Um instante só! – Hummm! Aqui está: ele se alimentou bem hoje, a pressão arterial e pulso estão estáveis, responde bem à medicação prescrita e vai ser retirado do monitor cardíaco até amanhã. Continuando bem, o médico responsável assinará alta em três dias. – Ahhhh, Graças a Deus! São notícias maravilhosas! Que alegria! No que o Dr. disse : – Pelo seu entusiasmo, deve ser alguém muito próximo, certamente da família!? E o paciente respondeu : – Não, sou o próprio Celso telefonando aqui do 302! É que todo mundo entra e sai desta merda deste quarto e ninguém me diz porra nenhuma. Eu só queria saber como estou….

 
Deixe um comentário

Publicado por em 14/07/2009 em Geral

 
 
%d blogueiros gostam disto: